Palmeiras 1×0 Ajax – quem diria?

Foi um dia de muitas estréias. Nossa primeira partida oficial do ano, primeira partida com a triste certeza que São Marcos não retona mais ao nosso gol, primeiro confronto do Palmeiras contra o AFC Ajax (e também primeira contra um time holandês), primeira partida do recém-contratado lateral esquerdo Juninho, primeiro gol do Pedro Carmona com a camisa palmeirense. Mas pra mim uma estréia foi a mais marcante e inesquecível: foi a primeira partida que pude assistir com o privilégio da companhia do meu filho de quatro anos na arquibancada.

De tanto ouvir por todos os lados que seríamos atropelados pelo Ajax, fui ao estádio apenas pelo prazer de ver a camisa do Palmeiras em campo. Me surpreendi e muito com o resultado, que já parecia bom lá pelos 25 minutos do primeiro tempo. O Ajax tem um toque de bola consciente e rápido mas o Palmeiras soube manter a posse de bola e principalmente a calma frente às inúmeras entradas violentas do adversário.

UOL Esporte: Sob o olhar de Marcos, Palmeiras irrita torcida, mas vence Ajax com gol no fim

A vitória apertada não aplacou a irritação da torcida. Ao longo do segundo tempo, o presidente Arnaldo Tirone foi muito xingado pelo público, que pediu jogadores. Após o apito final, mais uma vez o coro de “timinho” foi ouvido.

A camisa do clube também trazia a imagem estilizada de Marcos. Após a foto oficial, no entanto, o Palmeiras voltou a usar o uniforme com a marca Fiat, como “homenagem” à antiga patrocinadora, cujo contrato se encerrou em dezembro.

Estas duas frases sublinhadas do UOL Esporte estão incorretas. A torcida estava gritando “Cicinho”, que fez uma excelente partida. Deola e Valdívia também atuaram muito bem. E a Fiat pagou o patrocínio de ocasião desta partida. O UOL Esporte tem um histórico muito estranho no noticiário palmeirense, mas a partir de agora alguma qualidade finalmente será vista por lá com a entrada do setorista Danilo Lavieri, que migrou do iG Esporte.

ESPN Brasil:

Antes do jogo, uma procissão organizada para “São Marcos” encheu os entornos do Palestra Itália com torcedores palmeirenses, que fizeram questão de prestar uma homenagem ao goleiro santo do clube. No Pacaembu, os jogadores entraram em campo com uma camisa estampada com a foto de Marcos enquanto crianças levavam uma faixa com os dizeres: “Obrigado São Marcos”.

As homenagens empolgaram a torcida, que não parou de gritar nos minutos iniciais do jogo. A partida começou bastante disputada e quem esteve presente no estádio neste sábado até se surpreendeu com a primeira atuação do clube alviverde na temporada. Com bastante toque de bola, o Palmeiras conseguiu achar espaços na defesa do Ajax e se mostrou menos dependente das bolas paradas de Marcos Assunção.

Globoesporte.com:

O amistoso confrontou dois times em momentos diferentes da temporada. O Verdão sentiu muito a falta de ritmo e permitiu que os rivais dominassem o meio-campo, já que estão no meio do Campeonato Holandês e vêm jogando regularmente há seis meses. Em comum, as duas equipes apresentaram fraco aproveitamento nas finalizações, perdendo muitos gols.

iG Esporte: Carmona dá vitória ao Palmeiras diante do Ajax em dia de ‘São’ Marcos

O jogo começou a “100 km/h”, com os dois times correndo muito, muitas vezes sem nem saber o que fazer direito com a bola. A primeira chance veio dos pés de Marcos Assunção. O volante cruzou a bola, a zaga holandesa desviou e acabou tirando o gol de Ricardo Bueno, que teria só o trabalho de empurrar para a rede vazia. Depois, foi a vez de Luan acertar uma cabeçada na trave.

O Ajax era muito perigoso nos contra-ataques e conseguia entrar na área com facilidade, aproveitando do pouco entrosamento que Henrique e Leandro Amaro mostravam nos minutos iniciais da partida. O problema do time europeu, no entanto, era na hora de finalizar. O último toque sempre era errado.

Cicinho foi, de longe, o melhor jogador do 1º tempo. Com toques rápidos, bons dribles, o lateral levantou a torcida por várias vezes. Ele deu um passe para Tinga, que ia entrando na área sozinho quando sofreu falta. Na batida, Assunção cruzou a bola com perigo, Valdivia desviou e Vermeer fez belíssima defesa, evitando que o placar fosse aberto. Aos 37, Valdivia roubou bola no meio de campo e tentou encobrir Vermeer. Ia ser um golaço, mas a bola passou por cima do gol.

Gazeta Esportiva: Palmeiras marca no fim, vence Ajax e abafa protesto da torcida

No intervalo, as equipes foram bastante modificadas. Felipão tirou Leandro Amaro, Juninho e Ricardo Bueno para as entradas de Maurício Ramos, Gerley e Fernandão. No Ajax, saíram o goleiro Vermeer, os laterais Ligieon e Anita, o Eriksen e o atacante Lodeiro. Em seus lugares, entraram Cillessen, Van Rhijn, Blind, Serero e Ozbiliz. A segunda etapa começou morna e, logo aos 15 minutos, os treinadores fizeram mais trocas. No Palmeiras, saíram Tinga e Valdivia para as entradas de Maikon Leite e Pedro Carmona. Na equipe europeia, saíram Alderweired, Janssen, De Jong e Sulejmani, que deram suas vagas a Ooijer, Bouy, Bulykin e Aissati. Aos 23, Marcos Assunção saiu para que Chico entrasse.

Lancenet: Em dia de homenagens a Marcos, Verdão vence o Ajax

Felipão então mudou o time e sacou o Mago para dar lugar a Pedro Carmona, que mostrou alguns lampejos de talento. Na primeira oportunidade, o meia serviu para Luan, que livre cruzou para Fernandão. O atacante, no entanto, não conseguiu chegar na bola. Na segunda jogada de Carmona, ele fintou Serero e chutou e a bola passou muito perto do gol. O Ajax ainda assustou no fim, mas quem brilhou foi a estrela de Pedro Carmona. Aos 48 minutos, quandoa torcida já protestava contra a diretoria, o meia aproveitou o cruzamento de Luan e mandou de cabeça para marcar o único gol do jogo. Festa no Pacaembu!


escreva seu comentário