Guarani 3×1 Palmeiras – a bipolaridade de 2009, 2010, 2011…

A torcida do Palmeiras é bipolar porque o time também sofre do mesmo comportamento atípico. Depois de um campeonato inteiro indo muito bem, uma desatenção no Derby colocou o time naquela gangorra que já vimos em outros anos: jogos sonolentos contra Paulista e Mirassol, jogo elétrico contra o Horizonte, jogo apático contra o Guarani. E novamente essa gangorra aparece justamente na fase decisiva do campeonato. Já tivemos problemas por falta de elenco, por falta de pagamento para vários, por excesso de pagamento para alguns, por falta de premiação definida. Qual será o drama agora? Vale lembrar que a busca pela solução nestes casos é uma atribuição que pertence mais ao César Sampaio com a Presidência do que ao Felipão.

Um detalhe muito importante que o palmeirense precisa ficar de olho: recuse a atribuição de crise feita por jornalista que desmerece o campeonato chamando-o de “paulistinha”; se o campeonato é considerado de pouco valor, então não pode haver crise somente por não vencê-lo.

Vou também registrar aqui alguns comentários que publiquei no Twitter durante o jogo:
- O Deola fez duas excelentes defesas consecutivas, mas assusta muito a quantidade de espalmadas que ele manda de volta para o meio da área.
- (…) a “torcida” agora quer o Vadão como treinador do Palmeiras. São os mesmos que queriam o Jorginho, 15º do Paulista.
- Posso estar enganado mas não vejo grande diferença entre o Guarani e o Horizonte-CE. Bem estranha essa oscilação de rendimento do Palmeiras.
- O Palmeiras não perdia há 16 anos para o Guarani em Paulistas, desde 1996 por 0×1. Foram 12 jogos com 7 vitórias e 5 empates.
- Não entendo esses jornalistas esportivos: criticam o Felipão, chamam de retranqueiro e ultrapassado mas querem ele na CBF no lugar do Mano?
- Quer Felipão fora? Explique como pagar a multa de rescisão e quem deveria vir para o seu lugar, justificando a escolha. Só cornetar é mole.

Assista o compacto na Ficha Técnica da partida.

Globoesporte.com: Palmeiras leva ‘olé’, é ultrapassado pelo Guarani e cai para quinto

A exemplo do que vem acontecendo nas últimas partidas do Palmeiras, o técnico Luiz Felipe Scolari escalou um time diferente do que treinou durante a semana. Desta vez, a surpresa foi ausência do atacante Maikon Leite. O treinador optou por um meio de campo mais povoado, com Marcos Assunção, Márcio Araújo, João Vitor, Wesley e Daniel Carvalho. Barcos, isolado, contava com as tentativas de aproximação de Carvalho.

Agência Palmeiras: Em Campinas, Palmeiras é derrotado pelo Guarani por 3 a 1

Aos 9 min, após entrada forte de Oziel, Wesley sentiu dores no joelho direito e ficou caído no chão. O jogador, sem condições de continuar a partida, foi substituído por Maikon Leite.

iG Esporte:

Seguindo a pressão dos minutos iniciais, o time de Campinas abriu o placar 15 minutos. Fumagalli cobrou falta, Bruno Mendes testou e Deola fez boa defesa. Porém, no rebote, Neto não desperdiçou: 1 a 0.

Apenas três minutos depois, o árbitro Rodrigo Guarizo do Amaral marcou pênalti polêmico de Neto em Daniel Carvalho. Na cobrança, Barcos bateu firme no canto e acabou com o jejum pessoal de quatro jogos sem marcar: 1 a 1.

Apesar do empate, o Guarani não se abateu e continuou mandando na partida. Aos 23 minutos, Fumagalli cobrou falta, Bruno acertou o travessão e a bola ficou com Fabinho, que sofreu pênalti de Gerley. Na cobrança de Fumagalli, o goleiro do Palmeiras acertou o canto, mas não evitou o gol: 2 a 1.

Gazeta Esportiva: Guarani vence por 3 a 1 em Campinas e toma quarto lugar do Palmeiras

Em desvantagem no placar, o Palmeiras foi para cima do time da casa em busca do gol de empate e teve duas boas chances para marcar. Na primeira delas, Gerley cruzou rasteiro da esquerda, a bola passou pelo goleiro bugrino e Maikon Leite finalizou para fora. Pouco depois, Barcos aproveitou escanteio cobrado por Marcos Assunção e cabeceou firme no centro do gol, mas Juliano evitou o tento do atacante com uma grande defesa.

UOL Esporte: Palmeiras sofre com bolas aéreas, perde do Guarani e não depende de si para voltar ao G-4

No segundo tempo, os técnicos preferiram não fazer mudanças bruscas no sistema do jogo. Felipão apenas tirou Gerley e improvisou o volante Chico na posição.

ESPN Brasil: Palmeiras é derrotado pelo Guarani e perde 4ª posição a uma rodada do fim

Na volta do intervalo, o Palmeiras saiu em busca do empate, mas parou no goleiro reserva do Guarani. Juliano, que já havia feito grandes defesas na etapa inicial, evitou um gol certo, aos 8 minutos, após levantamento de Marcos Assunção na área e desvio de Daniel Carvalho. O bandeira, entretanto, acabou invalidando o lance, assinalando impedimento.

Lancenet: Defesa falha e Palmeiras tropeça diante do Guarani

O Verdão estava melhor no jogo, até os erros fatais de Cicinho. No primeiro, o lateral palmeirense errou no bote em Fabinho, que carregou a bola pela esquerda e cruzou para Bruno Mendes ampliar o placar. No segundo, ele aplicou um carrinho com os pés levantados e o árbitro entendeu que era para cartão vermelho.

Estadão.com.br: Guarani ganha em Campinas e ultrapassa o Palmeiras

Com um jogador a menos e dois gols de desvantagem, o Palmeiras passou a criar chances somente nas jogadas de bola parada de Marcos Assunção.

Folha Online: Palmeiras cai em Campinas, perde 2ª seguida e deixa G4 paulista

O Guarani aproveitou para gastar o tempo, administrar o resultado, e levou assim até o final, para festa nas arquibancadas do Brinco.


escreva seu comentário