Archive for the ‘profissional’ Category.

Sport 1×2 Palmeiras – jogando desse jeito, vai ganhar de quem?

Grêmio 1×0 Palmeiras – teste importante para o outro campeonato

De certa forma, perder no Olímpico não é nenhum resultado absurdo. Por outro lado, as únicas coisas que o Grêmio atual mantém das suas tradições são as faltas quebra-dedo e arranca-toco (muitas delas sem nenhuma punição do apito).

Nosso zagueiro Henrique sofreu um pênalti claríssimo no final do segundo tempo, que se tivesse sido marcado pelo árbitro talvez tivéssemos arrancado um empate. Porém não podemos ignorar todos os nossos próprios problemas e atribuir os resultados ruins somente na péssima e amadora arbitragem nacional – por exemplo, também teríamos conquistado o empate se não fosse uma desatenção grotesca no lance do gol adversário.

Se o Grêmio da Copa do Brasil for este que vimos hoje, acho que teremos uma boa chance de chegarmos na grande final. O campo adversário já é conhecido do nosso elenco, já sabemos o que corrigir e explorar (e eles também, claro), e ainda teremos a vantagem do segundo jogo nos nossos domínios. Pacaembu ou em Barueri, não me importo mais: agora é hora de aceitar qualquer lugar onde o elenco e comissão técnica sintam-se bem para vencer – mas que vençam!

Assista o compacto na Ficha Técnica da partida.

UOL Esporte: Grêmio usa ‘arma do Palmeiras’, vence com gol de bola parada e quebra marca de Felipão

Gazeta Esportiva: Grêmio leva a melhor na prévia da semifinal e vence o Palmeiras

Lancenet: Após derrota na estreia, Grêmio se recupera e bate Palmeiras

Globoesporte.com: André Lima decide, e Grêmio vence o Palmeiras no Olímpico

Estadão.com.br: Grêmio bate Palmeiras e fatura 1.ª vitória no Campeonato Brasileiro

Folha Online: Grêmio bate Palmeiras por 1 a 0 no Olímpico

ESPN Brasil: Na prévia da semifinal da Copa do Brasil, Grêmio faz 1 a 0 no Palmeiras

Agência Palmeiras: Com atuação abaixo da média, Palmeiras perde para o Grêmio

iG Esporte: Grêmio aplaude Felipão, mas bate Palmeiras em “prévia” da Copa do Brasil

Palmeiras 2×0 Atlético-PR – chegamos nas semifinais

Apesar das crises fabricadas na imprensa, da arbitragem “sorteada”, da falta de trabalho nos bastidores, do elenco sem estrelas, do treinador incendiário, do estádio em outra cidade, dos conselheiros vazadores, da diretoria omissa e até mesmo de nós, os torcedores corneteiros, aconteceu o improvável: alcançamos as semifinais da Copa do Brasil.

A CBF pagará ao Palmeiras uma premiação de R$ 400 mil pela classificação, completando R$ 1,2 milhão ganhos até aqui só neste campeonato. Mas mais importante que todo o dinheiro do mundo está o troféu, a apenas 4 jogos de distância.

UOL Esporte: Maikon Leite e Luan mudam o jogo, Palmeiras vence e volta à semi após 13 anos

Com a vantagem de começar o jogo classificado já que o primeiro jogo, em Curitiba, terminou empatado por 2 a 2, o Palmeiras encontrou um adversário disposto a atacar na primeira parte da etapa. Sempre procurando Guerrón pelo lado direito do ataque, o atacante conseguiu criar boas jogadas, mas Bruno Mineiro e Ligüera não foram felizes nas finalizações e Bruno pouco trabalho.

Do outro lado, o time alviverde encontrava dificuldades para chegar com perigo ao gol de Rodolfo. Primeiro porque o Atlético fechava os espaços, mas quando eles apareciam, faltava qualidade para criar as oportunidades.

ESPN Brasil: Luan decide, Palmeiras quebra tabu de 13 anos e avança à semifinal

Mesmo com dois homens de frente, o Palmeiras demorou a criar e só criou uma jogada de perigo aos 34 minutos do primeiro tempo. Marcos Assunção cobrou falta fechada na área, a bola passou por todo mundo e exigiu boa defesa do goleiro Rodolfo, que espalmou para a linha de fundo.

Lancenet: Verdão acorda no fim, bate o Atlético-PR e avança para a semi da Copa do Brasil

Estreando com a camisa alviverde no lugar do suspenso Barcos, Betinho conseguiu sua primeira finalização no gol de Rodolfo somente aos 43 minutos. Valdivia, sumido até então, deu boa enfiada de bola para o camisa 33, que chutou em cima do goleiro.

iG Esporte: Reservas decidem, Palmeiras vence e volta à semi após 13 anos

Felipão resolveu mexer no time no segunto tempo e as substituições surtiram efeito. O técnico sacou a dupla de ataque titular formada por Mazinho e Betinho – que fez sua estreia – para colocar Maikon Leite e Luan. E os dois mudaram a cara do duelo.

Agência Palmeiras: Palmeiras vence Atlético-PR por 2 a 0 e avança à semifinal

Mazinho, aos 21 min, foi substituído por Maikon Leite. O camisa 7, após dois minutos de sua entrada, tocou para Valdivia dentro da área, que fez novo passe para que Luan, livre, inaugurasse o placar para o Verdão!

Estadão.com.br: Palmeiras vence Atlético-PR por 2 a 0 e avança na Copa do Brasil

Depois do gol sofrido, o Atlético-PR se arriscou mais no ataque, porque precisava virar para 2 a 1 para se classificar. Assim, abriu espaço para o Palmeiras, que soube aproveitar.

Gazeta Esportiva: Palmeiras vence Atlético-PR e vai à semifinal após 13 anos

Com o jogo dominado, o Palmeiras ampliou, aos 37 minutos. Maikon Leite cobrou escanteio, Valdivia desviou e Henrique apareceu para completar para as redes, definindo o placar na Arena Barueri.

Globoesporte.com: Felipão muda, reservas brilham, e Palmeiras elimina o Atlético-PR

A Arena recebeu 17.574 pagantes, maior público do Palmeiras na Copa do Brasil.

Em meio à classificação, uma má notícia: em jogada infantil na lateral do campo, Valdivia deu um carrinho no adversário e levou o terceiro cartão amarelo. Está fora do primeiro jogo das semifinais, que ainda não tem data definida. Em compensação, Barcos volta à sua posição no ataque.

Folha Online: Palmeiras ganha do Atlético-PR e vai à semifinal da Copa do Brasil

A classificação registra uma marca importante para o técnico Luiz Felipe Scolari: será sua sétima semifinal nas nove vezes que disputou o torneio, um excelente aproveitamento de 77%.

O mando de campo dos dois jogos depende da definição do adversário e será anunciado pela CBF até sexta-feira. Os jogos estão marcados para os dias 13 e 20 de junho. Esta classificação significa a melhor campanha do time alviverde no campeonato após 13 anos (a última semifinal tinha sido em 1999 quando foi eliminado nos pênaltis pelo Botafogo).

Palmeiras 1×1 Portuguesa – estréia desanimadora

Gazeta Esportiva: Verdão vacila no fim e cede empate à Portuguesa em casa

A abertura do Campeonato Brasileiro começou de forma apática para Palmeiras e Portuguesa. Nos instantes iniciais da partida do Pacaembu, o Verdão priorizava a troca de passes sem muita pressa, enquanto a Lusa limitava-se a atuar apenas no erro do adversário.

iG Esporte: Palmeiras poupa titulares e cede empate para a Portuguesa

A primeira boa chegada do Palmeiras aconteceu aos 7 minutos. Patrik tabelou com Barcos e chutou em gol, obrigando Wéverton a defender. A Portuguesa perdeu seu goleador logo aos 15 minutos de jogo. Ricardo Jesus caiu desajeitado, bateu a cabeça no chão e teve que ser substituído por Rodriguinho.

UOL Esporte: Palmeiras joga mal, leva gol no fim e empata por 1 a 1 com a Lusa na estreia

Pensando na partida contra os paranaenses, Luiz Felipe Scolari poupou dois dos seus principais destaques contra a Portuguesa – Marcos Assunção e Valdivia. Mas ao contrário do que havia ensaiado no treino de sexta-feira, o técnico Luiz Felipe Scolari escalou Patrik e Luan no time titular, deixando Felipe e Mazinho no banco de reservas.

O primeiro tempo foi de baixo nível técnico, com poucas emoções de gol. O atacante Hernan Barcos ficou muito preso entre os zagueiros da Portuguesa. Mas mesmo assim, o argentino obrigou o goleiro Weverton a espalmar em um bom lance de ataque.

Lancenet: Na estreia no Brasileirão, Palmeiras cede o empate à Lusa

Depois da pressão, aos 37 o Palmeiras chegou ao primeiro gol. Após passe de letra de Daniel Carvalho, Barcos virou o garçom e deu um toque de calcanhar para Patrik. O meia errou, mas Luan ficou com a bola e acertou um belo chute de esquerda no ângulo de Weverton.

Luan, que estava parado há três meses se recuperando de uma cirurgia no pé esquerdo, foi autor do primeiro gol do Palmeiras e também do Brasileirão deste ano.

Agência Palmeiras: Contra a Lusa, Palmeiras joga bem, mas sofre empate no final

Aos 46 o árbitro apitou o final da primeira etapa, marcada por domínio do Palmeiras, que comandou as ações dentro de campo, arriscando diversos chutes de fora da área, inclusive marcando o gol em um deles. Com a zaga bem posicionada, Bruno não teve muito trabalho e mostrou sempre muita segurança quando foi requisitado.

O Palmeiras voltou a campo com a entrada de Maurício Ramos no lugar de Leandro Amaro, devido a dores no quadril.

Folha Online: Palmeiras sofre gol no fim e empata com a Portuguesa na estreia

No segundo tempo, o Palmeiras se fechou na defesa, enquanto aproveitava as oportunidades de contra-ataque que surgiam. Já a Portuguesa, por sua vez, pressionava em busca do gol de empate, não não conseguia vencer a defesa adversária.

Globoesporte.com: Palmeiras começa bem, mas sofre no fim, e Lusa busca empate na estreia

Com a Lusa sem reação, o Palmeiras passou a estudar variações táticas. Patrik ficou mais aberto à direita, quase como um ponta, e Luan fez o mesmo do outro lado. Depois foi Cicinho quem fez papel mais ofensivo, com boas jogadas pela direita. A torcida alviverde, passando frio no Pacaembu, só esperava o fim do jogo para comemorar os primeiros três pontos no Brasileirão.

Seria fácil para o Verdão tocar a bola, fazer o tempo passar e se poupar para o duelo contra o Furacão, pela Copa do Brasil. Mas a equipe de Felipão parece “gostar” de sofrer nos minutos finais, mesmo diante de equipes inferiores. E isso quase sempre é sinônimo de castigo. Foi o caso neste sábado.

Estadão.com.br: Palmeiras vacila e cede empate para a Portuguesa na estreia do Brasileirão

Quando parecia que a Portuguesa estava cansada e não incomodaria mais o adversário, Rodriguinho selou o empate. Aos 41 minutos, o meia Léo Silva recebeu pela direita, livre e cruzou para o atacante, que subiu sozinho e cabeceou para o chão, cruzado, sem chance para Bruno. Nos acréscimos, Maikon Leite ainda acertou a trave, mas a partida terminou mesmo em 1 a 1.

ESPN Brasil: No fim, Lusa marca e evita derrota em clássico para Palmeiras na estreia do Brasileiro

O resultado mantém, pelo menos, um tabu favorável ao Palmeiras diante da Portuguesa. Em jogos do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras não perde do adversário desde 1995, quando foi derrotado por 2 a 1 pela Lusa no Palestra Itália.

Palmeiras anuncia seis mudanças na nova numeração dos jogadores

Agência Palmeiras: Nova numeração das camisas para o Campeonato Brasileiro.

A camisa do eterno goleiro São Marcos continuará “aposentada”, mas sou defensor da idéia do conselheiro e historiador Jota Christianini: o número 12 deveria ser usado pelos nossos goleiros titulares ao invés do tradicional número 1, e sempre que alguém perguntasse o motivo poderíamos explicar relembrando os milagres do Santo.

Goleiros

1- Bruno
22- Deola
38 – Pegorari
46 – Raphael Alemão
47 – Fábio

Laterais

2 – Cicinho
6 – Juninho
14 – Artur
23 – Fernandinho (era do volante Chico, emprestado ao Coritiba; usava o número 26)

Zagueiros

3 – Henrique
4 – Thiago Heleno
5 – Román
13 – Leandro Amaro (usava o número 36)
15 – Maurício Ramos
27 – Wellington

Volantes

8 – Márcio Araújo
16 – João Vitor
20 – Marcos Assunção
87 – Wesley

Meias

10 – Valdívia
17 – Mazinho (era do meia Tinga, emprestado ao Ceará; usava o número 28)
18 – Patrik (era do lateral Gerley, negociado com o Bahia; usava o número 40)
19 – Daniel Carvalho (usava o número 83)
31 – Felipe

Atacantes

7 – Maikon Leite
9 – Hernán Barcos (usava o número 29)
11 – Luan
25 – Vinícius
33 – Betinho

Jogo treino: Palmeiras 2×1 Mogi Mirim

Agência Palmeiras: Palmeiras vence Mogi em jogo-treino na Academia de Futebol

O Palmeiras venceu o Mogi Mirim por 2×1 em jogo-treino realizado na tarde desta quarta-feira (02), na Academia de Futebol. Os gols foram marcados pelo meia Valdivia, de cabeça, e gol contra do lateral-direito Edson Ratinho. Todos os atletas do elenco palmeirense foram utilizados, inclusive os volantes da base, Marcos Paulo e João Denoni, chamados para compor a atividade.

O meia Felipe e o lateral-direito Luís Felipe, que estão no Mogi emprestados pelo Palmeiras, participaram do jogo-treino. Felipe, revelado pela base do Verdão, retornará ao clube após o término das finais da Taça do Interior, que o Mogi disputa contra o Bragantino.

Paraná 1×2 Palmeiras – apenas o suficiente

Assista o compacto na Ficha Técnica da partida.

Globoesporte.com: Verdão dá um tempo na crise, vence Paraná e consegue boa vantagem

Felipão prometeu mudanças e as fez por atacado. Depois das falhas na eliminação para o Guarani, no Paulistão, Deola foi barrado e deu lugar a Bruno, que entrou tranquilo e fez boas defesas. No meio, um Valdivia diferente, de bigode, foi muito marcado pela defesa paranista. Na frente, a surpresa: o estreante Mazinho, ex-Oeste, responsável por boas jogadas pelo lado esquerdo, sempre em velocidade.

UOL Esporte: Palmeiras não joga bem, mas vence o Paraná e ganha tranquilidade para “folga” de 15 dias

O grande problema do Palmeiras, no entanto, foi a saída de Marcos Assunção, que sentiu dores na costela e no pé e deu lugar para Patrik. Logo em seguida, Wendel recebeu cruzamento pela direita e exigiu excelente defesa de Bruno, que nada pôde fazer a não ser lamentar ao ver Luisinho empatar o placar aos 39 minutos.

Lancenet: Palmeiras derrota o Paraná e alivia momento turbulento

Após o gol, o Paraná esboçou uma reação. Aos 31 minutos, Luisinho recebeu na entrada da área e acertou a parte lateral da trave do Palmeiras. A partir desse lance, o jogo ficou equilibrado. Só que o panorama da partida mudou após o Palmeiras ser obrigado a fazer uma substituição. Marcos Assunção sentiu dores na perna e na costela, machucadas do último jogo contra o Guarani, e pediu para sair. Em seu lugar entrou Patrik.

Estadão.com.br: Palmeiras bate o Paraná em Curitiba e fica em vantagem na Copa do Brasil

Logo depois, o time paranaense chegou ao empate. Aos 38, Luisinho aproveitou o rebote do goleiro, após uma grande defesa no chute de Wendell, e deixou tudo igual no placar.

Folha Online: Palmeiras vence e fica a um empate das quartas da Copa do Brasil

O Paraná se acertou na marcação depois do intervalo e cedeu poucos espaços ao Palmeiras. Aos 18min, o time da casa por pouco não virou a partida. Douglas Packer cobrou falta e acertou o travessão de Bruno. Os visitantes responderam com Barcos, que só não marcou após um cruzamento porque encontrou o goleiro Thiago Rodrigues pelo caminho.

Gazeta Esportiva: Mesmo sem convencer, Palmeiras vence o Paraná em Curitiba

Felipão apostou, então, na entrada de Fernandão no lugar de Barcos. Fora de sintonia, Henrique Alemão estava perdido na partida e, aos 32 minutos, fez pênalti em Patrik. Na cobrança. Henrique balançou as redes.

Agência Palmeiras: Palmeiras desempata fora de casa e vence Paraná por 2 a 1

Aos 39 min, após cruzamento na área do Paraná, Mazinho cabeceou antecipando a marcação, Thiago Rodrigues tocou e a bola bateu na trave. 9 min depois, o árbitro apitou o final do jogo.

Guarani 3×2 Palmeiras – o que mais preocupa agora é a apatia da torcida

Foi quase o mesmo jogo de duas semanas antes: era o mesmo adversário, o mesmo estádio, o mesmo campeonato e a mesma necessidade absoluta de vencer. Infelizmente eram também as nossas mesmas poucas jogadas, os nossos mesmos erros e medos, o mesmo time onde nem todos possuem a capacidade de vestir a camisa alviverde com honra.

Mas o que realmente me deixa impaciente nem é somar mais esta eliminação, e sim ver a apatia de uma parcela considerável de nossa torcida aceitando bovinamente mais uma derrota para um pequeno. Me incomoda que os torcedores rivais não façam mais nenhum gracejo com nossos fracassos (e quem diria, a imprensa que deveria ser imparcial comemora as manchetes fáceis). E o que me tira o sono é que tudo isso possa ser um caminho sem volta caso não ocorra um choque de gestão no clube antes do nosso centenário.

Assista o compacto na Ficha Técnica da partida.

ESPN Brasil: Deola também falha, Palmeiras ‘imita’ rival, cai nas quartas, e Guarani pega Ponte

O Palmeiras entrou em campo com surpresas entre os titulares – o zagueiro Maurício Ramos e o atacante Luan – e apostou em uma marcação pressão para incomodar. Do lado do Guarani, a ordem era insistir nas jogadas aéreas. Na primeira chance do Bugre, Fabinho errou a cabeçada de forma bisonha mesmo livre, em um lance que poderia ter trazido problemas ao goleiro Deola.

UOL Esporte: Guarani bate o Palmeiras com direito a gol olímpico e semi do Paulista terá dérbi de Campinas

O jogo começou muito equilibrado, com os dois times sendo mais eficiente na hora de destruir do que armar. As melhores chances, mas que nem chegavam a arrancar suspiros dos torcedores, eram nas bolas aéreas. Até que, aos 22 minutos, Cicinho fez boa finta pela direita do ataque, lançou Hernán Barcos, que chutou da entrada da grande área. Emerson colocou para escanteio. Seis minutos depois, o argentino teve outra boa chance pela esquerda. Na divida, perdeu a bola e viu Luan pegar o rebote. Emerson defendeu mais uma.

Gazeta Esportiva: Guarani elimina Palmeiras e faz clássico com Ponte na semi

Aos 23 minutos, Barcos foi acionado por Cicinho e buscou o canto esquerdo da meta do Guarani. Atento, o goleiro Emerson desviou pela linha de fundo. O jogo estava, entretanto, longe de empolgar em função da falta de criatividade em campo.

A partida ganhou emoção no momento em que Barcos chamou novamente a responsabilidade em duas ocasiões seguidas. Primeiro, o argentino saiu da marcação de Domingos, tentou o drible em Neto e, na sobra, Luan concluiu para a defesa de Emerson. Pouco depois, a cabeçada do centroavante raspou a trave esquerda do Bugre.

Agência Palmeiras: Palmeiras perde em Campinas e encerra participação no Paulista

Aos 47 min, o árbitro apitou o final da primeira etapa, marcada pelas inúmeras chances criadas pelo Verdão. Luan, que não atuava há mais de dois meses, demonstrou bom desempenho e determinação ao longo de toda a etapa, marcando forte e levando o time ao ataque.

Lancenet: Guarani vence por 3 a 2 e elimina Palmeiras

O Palmeiras contava com a velocidade de Luan em busca do empate, mas o atacante pecava nas finalizações. O Guarani adotou uma postura mais defensiva, marcando firme a saída de bola palmeirense.

iG Esporte: Guarani bate o Palmeiras e garante dérbi na semifinal do Paulista

Se na primeira etapa os dois times ficaram devendo futebol, na segunda rapidamente eles mostraram que a situação seria diferente. Especialmente por parte dos donos da casa, que rapidamente abriram vantagem no placar.

Aos cinco minutos, o meia Fumagalli cobrou escanteio da esquerda do seu ataque. A bola, fechada, fez uma curva acima da pequena área palmeirense e enganou o goleiro Deola, caindo dentro de sua meta. Gol olímpico para abrir o placar em Campinas.

Globoesporte.com: Bugre aproveita falhas, derruba o Verdão e garante dérbi com a Ponte

Três minutos depois, em um contra-ataque fulminante, Oziel deixou Henrique para trás e cruzou rasteiro para Fabinho escorar. Loucura total na torcida do Guarani, clima de velório na arquibancada do visitante.

Folha Online: Guarani ganha do Palmeiras com gol olímpico e pega Ponte na semi

Um minuto depois, Luan fez a jogada pela esquerda e chutou forte para o goleiro Emerson defender e, no rebote, Marcos Assunção chegou batendo forte para descontar, 2 a 1. Aos 45 minutos do segundo tempo, Oziel fez boa jogada na direita e cruzou para Fabinho Souza, de novo, aproveitando que Deola não alcançou a bola, e fez Guarani 3 a 1. Nos acréscimos, aos 48, o zagueiro Henrique dominou a bola na entrada da grande área e chutou para fazer o gol que fechou o placar, 3 a 2.

Estadão.com.br: Guarani ganha do Palmeiras e garante Campinas na final

Aos 35, o árbitro Vinicius Furlan deu uma forcinha para o Palmeiras ao não expulsar Márcio Araújo. O volante fez falta em Fabinho Souza, chutou o adversário no chão (na frente de Furlan), mas só levou o cartão amarelo por isso.

Palmeiras 2×2 Comercial – deixem soar as cornetas

Esperávamos uma goleada e ela quase aconteceu: tivemos dois penais claros não marcados e um gol legítimo anulado, fatores que nos colocariam em 4º lugar na classificação e a pequeníssima vantagem do jogo único em casa pelas quartas.

Apesar dos inaceitáveis erros da arbitragem (que culminaram em punição imposta pela FPF ao árbitro e bandeira, mas de quê adianta agora?) e do grande número de desfalques (Cicinho, Márcio Araújo, Patrik, além de Valdívia, Luan e Thiago Heleno), não existe nenhuma justificativa plausível para esta quase derrota.

O adversário estava em nossa casa, já rebaixado e na última colocação, com salários atrasados e metade do elenco cumprindo aviso prévio, e ainda com dois jogadores a menos por mais de 40 minutos. Mesmo assim conseguimos a proeza de jogar com apatia e ainda tomar dois gols deste catado ribeirão-pretano.

Eu realmente não consigo vislumbrar uma classificação para as semifinais, acabamos de tomar um 3×1 do Guarani em Campinas há poucos dias e já vamos reviver esse combate no mesmo campo contra o mesmo adversário. Se nosso time entrar em campo com a mesma apatia inexplicável dos últimos seis jogos, a corneta da torcida será uma das mais altas dos últimos anos – e ela já começou a soar.

Assista o compacto na Ficha Técnica da partida.

UOL Esporte: Com dois a mais, Palmeiras só empata com rebaixado Comercial e encara Guarani fora

O Palmeiras começou o jogo com a maior posse de bola, mas tinha dificuldades para envolver o adversário e criar jogadas. Deu dois chutes perigosos a gol, aos 9min, com Pedro Carmona, e um minuto depois, com Barcos, mas ambos defendidos pelo goleiro Alex.

Barcos era muito acionado e saía da área para buscar as bola. Mas os meias e laterais palmeirenses eram pouco criativos. As pequenas empolgações dos torcedores vinham quando saía alguma falta para Marcos Assunção cobrar direto para o gol ou cruzar. Mas não deram em nada.

Gazeta Esportiva: Com dois a mais, Palmeiras empata com rebaixado e pega Guarani

Aos 36, o Comercial abriu o placar após reclamação do Palmeiras. Os jogadores do Verdão pediram pênalti sobre Leandro Amaro em cobrança de escanteio, mas o árbitro José Cláudio Rocha Filho considerou a jogada normal.

Na sequência do lance, o time visitante puxou contragolpe. Pedro Carmona até tentou parar a jogada com falta, mas Leandro levou vantagem e avançou pela direita, de onde cruzou para a área. O atacante Diogo Acosta apareceu livre e só escolheu o canto para estufar as redes.

iG Esporte: Palmeiras empata e enfrenta Guarani nas quartas em Campinas

O “susto” não acordou o Palmeiras que seguiu desconcentrado na partida e falhando em passes. O desempenho pífio no primeiro tempo levou a torcida a vaiar o time na saída do gramado ao final do primeiro tempo.

Globoesporte.com: Com dois a mais, Verdão sofre para empatar com o rebaixado Comercial

Já no intervalo, o técnico havia lançado Fernandão no lugar de Pedro Carmona, deixando o time com dois centroavantes. No meio do segundo tempo, os homens de área já eram três: Vinícius substituiu Maikon Leite, para indignação das numeradas do Pacaembu, que ensaiaram até gritos pejorativos ao comandante do Palmeiras.

Com a entrada de Tinga no lugar de Artur, a insatisfação aumentou. A desorganização em campo também. Quando o meia errou um lançamento fácil para a área, a torcida aplaudiu, mas de forma irônica. Não havia reação que representasse melhor o espirito do jogo.

Folha Online: Com 2 jogadores a mais, Palmeiras empata com rebaixado e fica em 5º

E tudo mudou no segundo tempo. Não necessariamente pela troca no time alviverde, mas sim pelo próprio Comercial. Em sete minutos, a equipe de Gil Baiano teve dois jogadores expulsos. Primeiro Marcelo Labarthe e depois Leandro Camilo. Ambos por falta violenta.

Estadão.com.br: Palmeiras dá vexame de novo e só empata com Comercial no Pacaembu

Depois de tanto insistir, o Palmeiras igualou o placar aos 42 minutos. Em um lance rápido, o lateral Juninho cruzou para a área na medida para Fernandão cabecear para o fundo das redes. Quando se imaginava uma virada palmeirense, o Comercial fez o segundo gol aos 45, depois que o atacante Diogo Acosta aproveitou falha de Leandro Amaro, matou a bola no peito e encheu o pé direito, estufando as redes de Deola.

Lancenet: Mesmo com dois a mais, Verdão só empata com o rebaixado Comercial

Como um milagre, Henrique, aos 47, poupou o Palmeiras do vexame, e conseguiu manter o placar empatado, em 2 a 2. O zagueiro, que reclamou de um pênalti não marcado no segundo tempo, ainda teve tempo de sair como o heroi do jogo, mas teve um gol mal anulado aos 51.

Agência Palmeiras: Verdão joga mal e só empata com Comercial no Pacaembu

Faltando 3 min para o final da partida, Henrique aproveitou cruzamento pela esquerda e cabeceou firme para o empate da partida. No último lance do jogo, após cobrança de Assunção, Henrique novamente cabeceou para o fundo das redes, mas o auxiliar marcou um impedimento inexistente.

ESPN Brasil: Com dois a mais, Palmeiras só empata com lanterna Comercial e pega Guarani fora nas quartas

Com o resultado, o Palmeiras encerra a fase classificatória com 36 pontos, apenas no quinto lugar, e terá que encarar o Guarani fora de casa nas quartas de final. O time campineiro até foi derrotado pelo Botafogo neste domingo, mas contou com o tropeço palmeirense para manter a vantagem do mando de campo.

Guarani 3×1 Palmeiras – a bipolaridade de 2009, 2010, 2011…

A torcida do Palmeiras é bipolar porque o time também sofre do mesmo comportamento atípico. Depois de um campeonato inteiro indo muito bem, uma desatenção no Derby colocou o time naquela gangorra que já vimos em outros anos: jogos sonolentos contra Paulista e Mirassol, jogo elétrico contra o Horizonte, jogo apático contra o Guarani. E novamente essa gangorra aparece justamente na fase decisiva do campeonato. Já tivemos problemas por falta de elenco, por falta de pagamento para vários, por excesso de pagamento para alguns, por falta de premiação definida. Qual será o drama agora? Vale lembrar que a busca pela solução nestes casos é uma atribuição que pertence mais ao César Sampaio com a Presidência do que ao Felipão.

Um detalhe muito importante que o palmeirense precisa ficar de olho: recuse a atribuição de crise feita por jornalista que desmerece o campeonato chamando-o de “paulistinha”; se o campeonato é considerado de pouco valor, então não pode haver crise somente por não vencê-lo.

Vou também registrar aqui alguns comentários que publiquei no Twitter durante o jogo:
- O Deola fez duas excelentes defesas consecutivas, mas assusta muito a quantidade de espalmadas que ele manda de volta para o meio da área.
- (…) a “torcida” agora quer o Vadão como treinador do Palmeiras. São os mesmos que queriam o Jorginho, 15º do Paulista.
- Posso estar enganado mas não vejo grande diferença entre o Guarani e o Horizonte-CE. Bem estranha essa oscilação de rendimento do Palmeiras.
- O Palmeiras não perdia há 16 anos para o Guarani em Paulistas, desde 1996 por 0×1. Foram 12 jogos com 7 vitórias e 5 empates.
- Não entendo esses jornalistas esportivos: criticam o Felipão, chamam de retranqueiro e ultrapassado mas querem ele na CBF no lugar do Mano?
- Quer Felipão fora? Explique como pagar a multa de rescisão e quem deveria vir para o seu lugar, justificando a escolha. Só cornetar é mole.

Assista o compacto na Ficha Técnica da partida.

Globoesporte.com: Palmeiras leva ‘olé’, é ultrapassado pelo Guarani e cai para quinto

A exemplo do que vem acontecendo nas últimas partidas do Palmeiras, o técnico Luiz Felipe Scolari escalou um time diferente do que treinou durante a semana. Desta vez, a surpresa foi ausência do atacante Maikon Leite. O treinador optou por um meio de campo mais povoado, com Marcos Assunção, Márcio Araújo, João Vitor, Wesley e Daniel Carvalho. Barcos, isolado, contava com as tentativas de aproximação de Carvalho.

Agência Palmeiras: Em Campinas, Palmeiras é derrotado pelo Guarani por 3 a 1

Aos 9 min, após entrada forte de Oziel, Wesley sentiu dores no joelho direito e ficou caído no chão. O jogador, sem condições de continuar a partida, foi substituído por Maikon Leite.

iG Esporte:

Seguindo a pressão dos minutos iniciais, o time de Campinas abriu o placar 15 minutos. Fumagalli cobrou falta, Bruno Mendes testou e Deola fez boa defesa. Porém, no rebote, Neto não desperdiçou: 1 a 0.

Apenas três minutos depois, o árbitro Rodrigo Guarizo do Amaral marcou pênalti polêmico de Neto em Daniel Carvalho. Na cobrança, Barcos bateu firme no canto e acabou com o jejum pessoal de quatro jogos sem marcar: 1 a 1.

Apesar do empate, o Guarani não se abateu e continuou mandando na partida. Aos 23 minutos, Fumagalli cobrou falta, Bruno acertou o travessão e a bola ficou com Fabinho, que sofreu pênalti de Gerley. Na cobrança de Fumagalli, o goleiro do Palmeiras acertou o canto, mas não evitou o gol: 2 a 1.

Gazeta Esportiva: Guarani vence por 3 a 1 em Campinas e toma quarto lugar do Palmeiras

Em desvantagem no placar, o Palmeiras foi para cima do time da casa em busca do gol de empate e teve duas boas chances para marcar. Na primeira delas, Gerley cruzou rasteiro da esquerda, a bola passou pelo goleiro bugrino e Maikon Leite finalizou para fora. Pouco depois, Barcos aproveitou escanteio cobrado por Marcos Assunção e cabeceou firme no centro do gol, mas Juliano evitou o tento do atacante com uma grande defesa.

UOL Esporte: Palmeiras sofre com bolas aéreas, perde do Guarani e não depende de si para voltar ao G-4

No segundo tempo, os técnicos preferiram não fazer mudanças bruscas no sistema do jogo. Felipão apenas tirou Gerley e improvisou o volante Chico na posição.

ESPN Brasil: Palmeiras é derrotado pelo Guarani e perde 4ª posição a uma rodada do fim

Na volta do intervalo, o Palmeiras saiu em busca do empate, mas parou no goleiro reserva do Guarani. Juliano, que já havia feito grandes defesas na etapa inicial, evitou um gol certo, aos 8 minutos, após levantamento de Marcos Assunção na área e desvio de Daniel Carvalho. O bandeira, entretanto, acabou invalidando o lance, assinalando impedimento.

Lancenet: Defesa falha e Palmeiras tropeça diante do Guarani

O Verdão estava melhor no jogo, até os erros fatais de Cicinho. No primeiro, o lateral palmeirense errou no bote em Fabinho, que carregou a bola pela esquerda e cruzou para Bruno Mendes ampliar o placar. No segundo, ele aplicou um carrinho com os pés levantados e o árbitro entendeu que era para cartão vermelho.

Estadão.com.br: Guarani ganha em Campinas e ultrapassa o Palmeiras

Com um jogador a menos e dois gols de desvantagem, o Palmeiras passou a criar chances somente nas jogadas de bola parada de Marcos Assunção.

Folha Online: Palmeiras cai em Campinas, perde 2ª seguida e deixa G4 paulista

O Guarani aproveitou para gastar o tempo, administrar o resultado, e levou assim até o final, para festa nas arquibancadas do Brinco.